Mais uma testemunha foi ouvida em processo que apura morte de advogada apůs cirurgia bariŠtrica  
  Data de publicação: 29/06/2011  
     
 

O Tribunal do Júri de Brasília ouviu em 14/04/2011, mais uma testemunha arrolada pela acusação, em audiência de instrução do processo que apura a responsabilidade do médico Lucas Seixas Docas Júnior na morte da advogada Fernanda Wendling, ocorrida após cirurgia bariátrica realizada pelo profissional, em março de 2006. A testemunha ouvida foi o médico intensivista que assinou o atestado de óbito da vítima. Ele explicou detalhes médicos relativos à complicação infecciosa que acometeu Fernanda no pós-operatório.

Duas outras testemunhas de acusação serão ouvidas por carta precatória e, somente após essa oitiva, será realizada audiência para ouvir as testemunhas de defesa e para o interrogatório do réu, de acordo com o artigo 411 do Código de Processo Penal.

Esta é a terceira parte da audiência que começou em novembro/2010, quando foram ouvidos o marido da vítima, que contou como o quadro clínico da esposa evoluiu até o óbito, e o médico obstetra, que falou acerca de cirurgia realizada para retirar o útero necrosado da paciente. Os trabalhos precisaram ser interrompidos por problemas técnicos e prosseguiram em fevereiro/2011, quando foram ouvidas três testemunhas, também indicadas pela acusação, todas da área médica, que explicaram aspectos clínicos relacionados à infecção que acometeu a paciente.

Fernanda veio a óbito no dia 19/03/2006, após ter sido submetida a cirurgia bariátrica realizada pelo acusado, que responde a outro processo pela morte da psicóloga Maria Cristina Alves da Silva, em fevereiro de 2008, também submetida a cirurgia de redução de estômago.

Nº do processo: 2010.01.1.096756-7

Fonte: Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios

 
     
   
 

 

 

 © Copyright 2020 - Todos os direitos reservados a Camargo e Campos Desenv. VisioArt