Ministério Público aciona cooperativa de planos de saúde por limitar exames  
  Data de publicação: 25/09/2012  
     
 

A 8ª Promotoria de Justiça de Guarapuava (região Centro-Sul do Paraná) propôs ação civil pública (ACP), com pedido de liminar, contra a Unimed Guarapuava - Cooperativa de Trabalho Médico Ltda, para evitar prejuízos aos clientes da operadora de planos de saúde, devido ao número limite imposto aos médicos na solicitação de exames.

O objetivo da ação, segundo a promotora de Justiça Michele Nader, é demonstrar os danos sofridos pelos usuários da Unimed com a limitação, feita pela Unimed, dos chamados exames autogerados (aqueles solicitados pelos médicos), fazendo com que os profissionais cooperados não sejam remunerados pelos exames que excedem o limite pré-definido em contrato.

De acordo com a Promotoria, os médicos podem, inclusive, ser penalizados com a proibição de autogerar exames, caso a cota definida seja ultrapassada. Com isso - sustenta a promotora - a saúde dos consumidores é colocada em risco, pois com esse limite há maior dificuldade na solicitação dos exames e nos diagnósticos pelo plano de saúde.

 "Sendo assim, a presente ação visa à exclusão dessa limitação ao número de exames autogerados que é prejudicial ao exercício da medicina, e que prejudica os pacientes/consumidores, posto que não terão sua patologia corretamente diagnosticada, constituindo-se prática abusiva vedada pelo Código de Defesa dos Consumidores, e que deve ser prontamente repelida pelo Poder Judiciário", argumenta Michele Nader, na ação.

A ACP aguarda decisão da Justiça da Comarca. Na liminar, o MP-PR requer a suspensão imediata do limite de exames autogerados.

Fonte: Ministério Público do Paraná

 
     
   
 

 

 

 © Copyright 2018 - Todos os direitos reservados a Camargo e Campos Desenv. VisioArt